Técnica de Produção, Reportagem e Redação Jornalística

Quando o assunto é o diploma e o curso de jornalismo…

Posted in Uncategorized by micheletavares on 16/07/2009

Por Igor David Sá

Pausa nas férias e pensem nisso…

Vamos supor que você seja um professor e tenha um aluno que sempre foi considerado aplicado, esforçado,

Precisa legenda? precisa, lembrem da técnica.

Precisa legenda? precisa, lembrem da técnica.

inteligente, articulado e acima de tudo capaz. Uma figura, que apesar de seu pouco tempo disponível, tenta esforçar-se ao máximo para atingir seus objetivos na faculdade. E por favor, não entendam “objetivos” como notas, freqüência ou qualquer coisa do gênero. Estes fatores são apenas puras formalidades, as quais não influem no caráter e na postura profissional de um jornalista, ou estudante, que seja. Não me lembro de ter tido aulas de caráter na faculdade. Entretanto, por conta de diversos fatores externos à sua vida acadêmica, como o trabalho, por exemplo, esse aluno não conseguiu terminar a faculdade e está sem diploma. Todos pensarão que o mesmo é um imprestável, um incompetente ou até um preguiçoso. Para mim não. É preferível o que ele sabe e a competência que o mesmo tem, do que um pedaço de papel que diga falsamente que ele sabe das coisas porque tem várias médias 10 em seu histórico curricular. Um pedaço de papel carimbado e assinado não atesta a ninguém nada. Melhor o tudo sem o papel, do que o nada com ele!

 

Anúncios

Bem companheiros…

Posted in Uncategorized by micheletavares on 10/07/2009

“Quero provar que metalúrgico é capaz de governar este país melhor do que a elite brasileira conseguiu nestes últimos cento e tantos anos de República”.

(Luiz Inácio Lula da Silva)

 

Por Igor David Sá e Mayana Macedo

 

Uma infância marcada pela fome e por inúmeras dificuldades, com uma trajetória política que desafia os códigos da vida política tradicional. A história de vida do metalúrgico e sindicalista que se elegeu presidente o separa dos seus antecessores e possivelmente dos seus sucessores. Derrotado por três vezes até conseguir se eleger presidente em 2002, e, diga-se de passagem, com uma votação recorde na política brasileira, Luiz Inácio Lula da Silva, nascido em Garanhuns – PE em 1945, é o sétimo dos oito filhos de “Dona Lindu”, a qual o mesmo possui enorme admiração.

“Minha mãe possuía uma coragem e uma lucidez que se encontram em poucas pessoas. Em 1953, quando ela descobriu que meu pai tinha outra família, foi encontrá-lo, numa manhã, pra lhe dizer que estava indo embora. Ela era analfabeta. Tinha oito filhos. E, mesmo assim, ela foi. Ela sempre dizia: “Um ser humano nunca pode perder o direito de andar de cabeça erguida.” Nós, seus filhos, fomos trabalhar. Um trabalhava numa mina de carvão, outro vendia sardinhas, um terceiro virou barman. Eu tinha 7 anos. Com meu irmão Chico, fomos vender laranja e amendoim nas ruas. Assim aprendi a importância da família, que está, por sinal, no coração da minha atuação política.” (Lula em entrevista ao Jornal francês L’Express, dezembro de 2008.)

O jovem militante

Uma juventude marcada pela luta em prol do movimento sindical. O jovem Lula, com a crise após o golpe militar de 1964, inicia sua carreira profissional ao ingressar em várias fábricas na região do ABC paulista. Entretanto, foi nas Indústrias Vilares, umas das principais metalúrgicas do país, que ele teve seu primeiro contato com o movimento sindical em São Bernardo do Campo, através de um de seus irmãos. Já em 1975, foi eleito presidente do mesmo com 92% dos votos, tornando-se representante de mais de cem mil trabalhadores. Mais tarde, em 1978 foi reeleito, dessa vez com 98% dos votos.

Lula em discurso para milhares de metalúrgicos do ABC em 1979.

Lula em discurso para milhares de metalúrgicos do ABC em 1979.

De acordo com ele, a repressão ao movimento grevista e a quase inexistência de políticos que representassem os interesses dos trabalhadores no Congresso Nacional fez com que o mesmo pensasse pela primeira vez em criar um partido de trabalhadores. Em 10 de fevereiro de 1980, juntamente com outros sindicalistas e intelectuais, Lula funda o Partido dos Trabalhadores (PT), passando então a liderar a organização do partido, que em apenas dois anos de existência já estava implantado em quase todo o território nacional.

O líder político                    

A partir de 1989, com a abertura política, aquele menino pobre saído do interior de Pernambuco, tornava-se cada vez mais conhecido e admirado por milhares de trabalhadores e jovens estudantes. Seu enorme poder de liderança era incontestável. Dono de um estilo carismático e acima de tudo popular, Lula causou polêmicas e divergências de opiniões entre a sociedade brasileira.

“Fui derrotado 3 vezes até vencer em 2002. Que o Brasil superasse seus preconceitos e trouxesse um operário ao centro do Estado parecia, há apenas 15 anos, muito improvável”. (trecho de entrevista de Lula ao Jornal francês L’Express, dezembro de 2008.)

Eleito em 2002 com uma votação que entrou para a história do país, Luiz Inácio Lula da Silva realizava o seu grande sonho, depois de sucessivas tentativas de ocupar a Presidência do Brasil. Já como chefe de Estado, Lula prometeu que a luta contra a pobreza seria sua prioridade no governo. Através do Bolsa Família, programa de distribuição de renda que beneficia mais de 11 milhões de famílias, ele iniciou a construção dos alicerces que dariam sustento ao seu governo, possibilitando sua reeleição em 2006.

1 de janeiro de 2003. Lula e sua esposa Marisa em desfile em carro aberto na posse presidencial.

1 de janeiro de 2003. Lula e sua esposa Marisa em desfile em carro aberto na posse presidencial.

Nunca é demais relembrar que ele sofreu muitos preconceitos até alcançar à Presidência da República, principalmente por não ter formação acadêmica superior. Certa vez a empresária de teatro Ruth Escobar anunciou que os brasileiros teriam duas opções: “Votar em Sartre ou escolher um encanador”.

“A elite sabe que sou um vencedor. Uma criança nordestina que não morreu de fome até os cinco anos já venceu na vida. Um nordestino que desembarcou de um pau-de-arara, fugindo da seca, e não virou marginal é um vencedor. No meu governo, um filho de encanador vai disputar vaga na universidade com o filho de uma empresária de teatro como a senhora Ruth Escobar”.

Apesar da reduzida instrução formal, ele foi distinguido com vários títulos de doutor “Honoris Causa” por renomadas universidades norte-americanas e européias. Em seu segundo mandato, o Brasil alcançou importantes realizações, como a auto-suficiência na produção de petróleo e a liquidação da dívida externa.

Brasil alcança a auto-suficiência em petróleo no Governo Lula.

Brasil alcança a auto-suficiência em petróleo no Governo Lula.

O campeão de popularidade

Um presidente definido por muitos como “fora dos padrões”, tanto pela sua origem humilde como pela sua gigantesca popularidade pelo seu jeito despojado de ser, Lula chega ao final do seu segundo mandato com altos níveis de aprovação. Com uma história de vida marcada por miséria e muito trabalho, Lula logo conseguiu conquistar uma enorme parcela da população brasileira.

Reverenciado principalmente pelas camadas mais pobres da população, batendo todos os recordes de votação e aprovação, o homem que em sua trajetória foi operário, sindicalista, dirigente do Partido dos Trabalhadores e por fim chefe de Estado, conquistou também um lugar de destaque no cenário político mundial.

Recentemente, em uma reunião do G20 (Grupo dos 20 países mais ricos do mundo), Lula conseguiu arrancar elogios do homem mais poderoso do mundo, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. O presidente norte americano disse que Lula era o homem mais popular  da terra e em uma troca de aperto de mãos com o presidente brasileiro, Obama  olha para o primeiro-ministro da Austrália, Kevin Rudd, e diz, apontando para Lula: “Esse é o cara! Eu adoro esse cara!”.

Lula é o homem mais popular da terra, diz Barack Obama.

Lula é o homem mais popular da terra, diz Barack Obama.