Técnica de Produção, Reportagem e Redação Jornalística

Curtiu o Curta-SE?

Posted in Cultura by micheletavares on 17/10/2009

Por Júnior Santos

O Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe, o Curta-SE, teve sua nona edição realizada entre os dias 29 de setembro a 03 de outubro. Sediado nas cidades de Aracaju, Estância e Laranjeiras, o evento exibiu curtas e longas metragens, além da realização de palestras e seminários.

Com sua criação, em 2001, o Festival ainda não recebia a nomenclatura “iberoamericana”, por ser um pequeno evento destinado ao público universitário, organizado por sua criadora, Rosângela Rocha, que vendo outros eventos da mesma espécie acontecendo em diversos lugares, resolveu tomar a iniciativa no Estado. Ao decorrer dos anos, o Curta-SE foi progredindo. Um maior número de vídeos começou a ser inscritos, recebeu o patrocínio da Petrobras e apoio da Lei Rouanet, passou a ter sede em interiores do Estado, estendendo a sua programação, e criou um vínculo com o programa “Fome Zero”, onde a população participa através da troca de um quilo de alimento por um ingresso.

Toda essa progressão fez com que o projeto fosse reconhecido não só em âmbito nacional, como também internacionalmente, chegando a uma parceria com o programa Ibermedia, que inclui países como: Chile, Argentina, Espanha, México, Uruguai, Colômbia, Venezuela e Cuba, originando assim, o nome Festival Iberoamericano de Curtas Metragem de Sergipe.

“Não tinha a impressão de como o projeto andaria. Hoje ele é uma grata surpresa.”, afirma Rosângela. O Festival é aberto ao público, podendo qualquer pessoa inscrever o seu curta ou longa-metragem. O tema do evento é sempre relacionado a discussões atuais que perpassam no cenário audiovisual.

Casa Curta-SE

O Curta-SE não se restringe somente aos cinco dias de exibição de filmes na rede de cinemas Cinemark, o local sede do evento, na cidade de Aracaju. Durante todo o ano, a Casa Curta-SE, que está localizada na Rua Teixeira de Freitas, no bairro Salgado Filho, oferece cursos, minicursos e palestras que incentivam o desenvolvimento do cenário audiovisual sergipano. Segundo Rosângela, a regularidade dos cursos oferecidos é incerta, uma vez que, é necessária a efetivação dos projetos propostos pela coordenação para que haja liberação da verba, e assim, aconteça à realização dos eventos.

“Funcionamos meio que sazonalmente. Atualmente, fazemos mais oficinas no interior com o Projeto o Sertão É Coisa de Cinema, patrocinado pelo BNB de Cultura, como também desenvolvemos um projeto chamado SEIDES em ação com a Secretaria da Inclusão Social, desenvolvendo oficinas e exibições de filmes para centro de cultura e de convivência social e outros espaços ligados à Fundação Renascer”, complementa.

Segundo Rosângela, a divulgação dos cursos é feita através do site: http://blog.casacurtase.org.br.

Nona Edição do Curta-SE

Na edição desse ano, o filme que ganhou como melhor vídeo foi “A Ilha”, de Alê Camargo, e como melhor vídeo sergipano “Resfriado”, de Gabriela Caldas. Todavia o evento teve algumas falhas no cumprimento do horário, como relata a estudante de jornalismo Andreza Lisboa, que acompanha o evento desde 2007. “Apesar de estar na sua 9ª edição, o evento ainda apresenta falhas no cumprimento de horário (…). O que realmente eu critico, veementemente, foi o desrespeito dos organizadores em exibirem as obras sergipanas em horários tão infelizes para o grande público. Fiquei sabendo que na sexta, eles só foram exibidos já por volta da 1h da manhã.”, contesta.

Ao ser questionada sobre o fato das obras sergipanas terem sido expostas tão tarde, Rosângela respondeu: “Em edição anterior, colocamos os filmes sergipanos no início, abrindo as sessões e identificamos que após serem exibidos, os sergipanos se levantavam das sessões, não prestigiando os filmes que viriam em seguida. Por isso, respeitando quem veio primeiro em conhecimento e experiência, resolvemos alterar para a sessão final. E olhe que os vídeos iberoamericanos, que também tem uma experiência rica, ficaram de fora deste espaço.”.

Como idealizações futuras, os organizadores do Festival têm a implantação de uma Webtv Curta-SE, uma rádio comunitária e maior produção e co-produção de conteúdos digitais com a participação de outros Estados. Além de que, em abril do próximo ano, o projeto completará 10 anos, e espera-se realizar um dos melhores festivais já tidos até então.

Foto: Divulgação

Cartaz da nona edição do evento. Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: