Técnica de Produção, Reportagem e Redação Jornalística

Vitórias do passado e derrotas do presente: 100 anos de Clube Sportivo Sergipe

Posted in Esporte by micheletavares on 06/11/2009

Por Igor Almeida

 

Escudo do Clube Sportivo Sergipe

asmilcamisas.wordpress.com

Há 100 anos, no dia 17 de outubro de 1909, o futebol sergipano, até então pouco desenvolvido, era presenteado não só com mais um clube da modalidade, mas com um time que viria a se tornar o maior vencedor do Estado e orgulho para muitos torcedores. Com um vasto histórico de vitórias e títulos, o Clube Sportivo Sergipe nasceu inicialmente para a prática de esportes náuticos, como o remo, esta que era a principal atividade esportiva local no início do século passado, mas que aos poucos foi identificando no futebol a verdadeira essência do clube que, a partir daí, iniciava sua jornada até ganhar a posição de destaque que tem hoje no cenário esportivo regional. Mas nem tudo são flores. No ano do centenário, o clube não tem muitos motivos para comemorar já que não conquistou nenhum dos títulos disputados nessa temporada e ainda amarga estar vivendo aquele que está sendo considerado um dos piores momentos da sua história.

Anos de glórias

 

Em 100 anos de existência, o Sergipe coleciona 13 títulos estaduais no remo (que deixou de ser disputado oficialmente a partir de 1950). No futebol profissional, vários títulos em pequenos torneios locais e regionais além de nada menos que 31 das 80 taças de campeão sergipano que disputou, sendo um hexa campeonato, confirmando assim a força da camisa rubra. A imponência de uma grande equipe, a garra dos jogadores, o “derrubador de campeões”, como era chamado devido às vitórias sobre vários clubes campeões pelo país, faziam do “Clube Querido” um perfeito exemplo de trabalho e sucesso. Também lhe é creditado o fato de ser o único time do Estado a ter participado de jogos internacionais, enfrentando o Sparta Praha da Tchecoslováquia (1960), atual República Tcheca, o Alianza Lima do Peru (1960), a Seleção de Gana (1960) e a Seleção de Novos da Argentina (1968). Realizações inéditas que até hoje permanecem gravadas na memória eterna de um torcedor apaixonado.

Fase ruim?

Nos últimos tempos, toda a maestria com a qual o time sempre jogou parece apenas uma vaga e remota lembrança. Em participações nacionais, aquela equipe que em 1995 conseguiu um resultado extraordinário, alcançando uma quarta colocação na série B do campeonato brasileiro, simplesmente não reencontrou o caminho das vitórias, até que esse ano disputou a série D do Brasileirão com algumas grandes atuações, sem retirar o mérito dos jogadores e nem dos adversários, mas sem atingir a tão sonhada classificação para a série C. Comenta-se ainda o fracasso da equipe na final da Copa Governador do Estado, perdendo para o São Domingos que, teoricamente, é uma equipe mais fraca que o Sergipe. Outro grande revés é o fato do time não conseguir há muito um título estadual, já que desde 2003 o torcedor não tem a felicidade de soltar o grito de “É campeão!” sergipano, este que sempre foi um torneio motivo de orgulho para toda a esquadra vermelha.

Essa má fase e o clima de derrota que se instalaram no estádio João Hora acabaram por gerar tensões entre torcedores, alguns jornalistas especializados e a diretoria do clube, que tem uma gestão considerada ineficiente e que não contribui para o crescimento da equipe. Não só os dirigentes do Sergipe, mas também dirigentes dos outros grandes clubes do Estado são acusados de não assumirem o compromisso devido com o desenvolvimento do futebol sergipano. No entanto, o presidente do clube não vê as reclamações da torcida como algo negativo. “O torcedor tem razão. A torcida vive de resultado e se o Sergipe não tem resultado positivo, são naturais as reclamações”, comenta.  Além disso, os 30 anos de presidência do senhor Antônio Soares de Mota, o “Motinha”, virou constante alvo de críticas de boa parte da imprensa e também dos torcedores, que acabou por gerar rumores de um possível fim da atual gestão para a temporada 2010, mas segundo o dirigente, são apenas rumores e afirma não ter pretensão alguma de se afastar do cargo: “Estou na metade do mandato. Trinta anos agora e ainda faltam mais trinta.”, completa.

Para a próxima temporada, as expectativas vão se restringir a atual situação financeira do clube. Nada de grandes contratações ou investimentos, embora haja um projeto de mais de R$ 6 milhões em negociação no Ministério dos Esportes para a construção de salas e um ginásio para o clube. O Sergipe pretende para o próximo ano investir no que já tem e assim tentar obter bom resultados. “A regra é montar um time de casa. Preparador de casa, técnico de casa. Não vem ninguém de fora. O Sergipe está trabalhando agora para pagar as dívidas que ficaram desse ano”, conclui.

Os 100 anos de existência  do Clube Sportivo Sergipe ao menos nos confirmam uma coisa: é um time de tradição, pois são poucas as equipes brasileiras que conseguiram alcançar essa marca centenária. Uma história escrita com vitórias e derrotas, sucessos e fracassos, fatores estes que convivem sempre lado a lado a cada partida, a cada temporada, independente do time que entra em campo. A razão e emoção que unem não apenas os 11 jogadores, mas sim os 12. Isso mesmo! O famoso 12º jogador oriundo das memoráveis páginas do cronista esportivo Nelson Rodrigues, que vê na torcida o estímulo necessário aos atletas para que se ‘desenhem’ grandes jogos. Apesar da torcida rubra não tenha muito o que comemorar no ano do centenário do clube, um coração torcedor nunca perde a esperança da ‘volta por cima’, dos dias de glória em que, com o estádio Lourival Baptista lotado, o Sergipe possa reinar na sua essência, e os torcedores possam enfim voltar a expressar a sua alegria, ‘subindo pelas paredes’ do Baptistão, assim como as famosas lagartixas profissionais do nosso profeta escritor.

2 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Adler said, on 12/11/2009 at 1:27 pm

    Boa reportagem.A linguagem está super clara e a construção das frases também. Entretanto, podia focar mais em um aspecto, pois observa-se superficialidade em alguns momentos.

  2. […] Vitórias do passado e derrotas do presente: 100 anos de Clube Sportivo Sergipe. […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: