Técnica de Produção, Reportagem e Redação Jornalística

Apesar de mercado restrito, Sergipe também tem seus representantes no mundo dos quadrinhos e animação

Posted in Ciência e Tecnologia by micheletavares on 19/11/2009

Por Morgana Brota

Muita coisa mudou desde que os primeiros quadrinhos e games surgiram. Algumas técnicas continuam fazendo parte do processo produtivo, outras deixaram de ser utilizadas e outras ainda se aperfeiçoaram e se adaptaram a nova realidade que preza pela velocidade da conclusão do trabalho.

E no que diz respeito a games, quadrinhos e animação, Sergipe também tem os seus representantes.

Mesmo com as novidades que a tecnologia traz ao mercado, o tradicional não some completamente. Praticamente todo o trabalho de um ilustrador hoje é feito com o auxilio do computador, mas diferente do que muitos pensam ilustração não começa na máquina.

O ritmo crescente de trabalho que a atualidade impõe pode muitas vezes causar prejuízos ao profissional e conseqüentemente ao resultado do seu trabalho, mas também pode o colocar num patamar mais profissional aos olhos do mercado e sua responsabilidade se torna ainda maior. “Hoje o desenhista e ilustrador não devem ser encarados como artistas que levam uma vida para completar uma obra”, revela Adelson Tavares, ilustrador sergipano que já está construindo seu nome no mercado internacional. Hoje o que existe são prazos cada vez menores em parceria com um controle de qualidade realizado pelas empresas que contratam esses serviços e o trabalho feito pelo profissional atinge as grandes massas.

Adelson Tavares

Adelson Tavares (Acervo Pessoal)

“Com o ritmo do mercado ficando cada vez mais frenético, tempo se tornou algo muito valorizado, por isso o meio digital se tornou tão importante.”

Adelson Tavares

Segundo Adelson, o mercado de trabalho em Aracaju é restrito e na área de entretenimento, que envolve quadrinhos e games, a situação é ainda mais complicada. Adelson desde muito jovem expressava interesse pela área e usou a internet como ferramenta para conseguir alguns contatos. Por conseqüência, os primeiros trabalhos, foram os que lhe renderam mais destes. “Funciona como uma reação em cadeia, embora eu ainda esteja engatinhando, lá fora já tenho uma pequena lista sólida de serviços”, declara.

Animação 2D

Muitos jovens entram no ramo da tecnologia ligada ao entretenimento por paixão, seja pela arte do desenho ou por animações, como é o caso de Márcio Barbosa, estudante do penúltimo período da faculdade de Design Gráfico.

Márcio Pimentel (Foto: Morgana Brota)

Segundo Márcio, o que existe hoje no mundo da animação é um aperfeiçoamento de certas técnicas e a preciosa ajuda do computador. Mas essa preciosa ferramenta também tem seus aspectos negativos e em alguns casos há o relaxamento de alguns desenhistas com os seus projetos.

Márcio admite que a Computação Gráfica ajuda bastante, principalmente na construção de cenários. “Fazer cenário, é um saco.”, admite.

Segundo Márcio, quando um cenário é projetado em 3D e não nos frames, quadros que reproduzem, cada um, a composição de uma cena como é feito no desenho tradicional, pode haver um resultado melhor na animação. Cenas dinâmicas que exigem muitos movimentos, como uma volta de 360 graus, são complicadas de serem feitas com os métodos tradicionais. É importante lembrar que apesar da Computação Gráfica o tradicional também aparece no processo de criação pois um objeto para ser produzido em 3D precisa ser desenhado primeiro.

 

E a respeito dos animes…

Conhecido popularmente aqui no Brasil como “anime”, a animação japonesa é essencialmente construída em 2D e muitos leitores devem estar se perguntando o motivo do 3D não ter invadido completamente esse setor. As novas tecnologias também atuam nesse ramo, mas de uma forma mais restrita. Fãs de anime são fiéis a sua estrutura, aos seus traços, por isso grandes inovações não pegam. Hoje, alguns animes  se utilizam das duas técnicas, ou seja, seus personagens continuam sendo construídos em 2D e o cenário, em 3D.

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. […] Veja a entrevista aqui ó. […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: