Técnica de Produção, Reportagem e Redação Jornalística

Acima de 2009!

Posted in Uncategorized by micheletavares on 18/01/2010

Com o crescimento do turismo em Aracaju, o setor hoteleiro adquire nova visão na tentativa de se adequar às necessidades do mercado.

Por Tainah Quintela

Editado por Etienne Fonseca

“Jô Soares, o magro”. Foi assim que se apresentou o senhor João Soares, 75 anos disfarçados por tamanha energia. Desde 1968, o baiano vem à Aracaju a cada quinze dias para dançar. “Danço de tudo: bolero, forró, samba, o que tocar!”. O simpático senhor afirma que nesses mais de quarenta anos que vem à cidade acompanhou mudanças intensas tanto no ramo de hotéis e pousadas como nos restaurantes e no comércio em si. A orla que antigamente só dispunha de um restaurante como referência de ótimos serviços, o Tropeiro, hoje não deixa a desejar com a variedade de novos e distintos empreendimentos. As falhas, ressalta, concentram-se na precariedade dos transportes públicos e na distância entre o calçadão e o mar. Ademais, tudo muito bom e a prefeitura está trabalhando magnificamente bem! “Se você puser um regular, bom ou ótimo… Eu vou optar pelo ótimo”, comenta o Jô.

Unânime. Há uma pontinha de esperança em relação ao ano de 2010 no que diz respeito a progressos econômicos. No ramo hoteleiro não é diferente. Não é só o senhor João que enxerga pontos positivos no ano que se inicia. A imagem que se tem a respeito dos hotéis e pousadas de Aracaju é vaga. Imagina-se que uma cidade de pequeno porte não seja adaptada à recepção de um grande contingente de turistas diariamente e que o que há de ocupação deve-se ao turismo de lazer somente. “O turismo empresarial, no entanto, é o principal gerador de receita na hotelaria local”, declara Tereza Sobral, do Departamento de Reservas do Quality Hotel Aracaju. Ainda que passem um tanto despercebidas, empresas como a Vale, a Votorantim, a Petrobras e suas terceirizadas representam grande porcentagem da ocupação semanal. O turismo de lazer ganha seu destaque em fins de semana, feriados e mais ainda em temporadas com grandes eventos proporcionados em geral pelo Estado.

Durante o período de férias compreendido entre o final de novembro de 2009 e janeiro de 2010 houve uma acentuada procura pela tranqüilidade  e pelo calendário festivo da cidade. É aí que entram os investimentos governamentais em projetos culturais, prévias carnavalescas, festas municipais e passeios turísticos por todo o Estado. A superlotação no ramo hoteleiro não tira o perfil de negócio que apresenta a hotelaria da cidade, mas obviamente representa toda uma mudança na rotina diária. Apesar das atrações da festa de Reveillon 2010 não terem aglomerado um público tão extenso desta vez na orla, os principais hotéis apostaram mais uma vez em confraternizações particulares. A exemplo disso, Parque dos Coqueiros, Real Classic, Quality, Bello Mar, Radisson, Mercure, dentre outros obtiveram lucros à parte com festas fechadas para hóspedes e passantes (clientes interessados apenas na festa).

Em entrevista ao Aracatinet.com, o ex-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis secção Sergipe (ABIH/SE), Diego Costa, afirma que a expectativa é de que haja um aumento no índice de ocupação na capital sergipana para toda esta temporada. “Estamos nos preparando para utilizar de 8 a 10 mil leitos diariamente, afinal tem crescido a procura por nosso município como destino turístico, pois ele se desenvolve com boas condições de limpeza e organização”, declara Costa.

Em parceria com o Governo de Sergipe, a prefeitura de Aracaju trabalhou no recapeamento das avenidas, na reconstrução e reforma de pontos turísticos e na revitalização de bares a fim de melhorar a estadia das pessoas que vêm à cidade. Essas e outras medidas certamente contribuem para a circulação do capital em variados setores, dentre eles o hoteleiro, indispensável para acomodação daqueles que são atraídos à capital.

O perfil do turista que vem a Aracaju é de famílias e casais em busca de lazer e descanso nas altas temporadas. Todavia, a cidade assume uma posição empresarial durante todo o ano, principalmente de segunda à sexta. Como prova disso, nota-se que os hotéis têm investido cada vez mais em espaços e serviços para eventos, solicitados por grandes empresas que passam por aqui. O gerente do Aruanã Eco Praia Hotel, Gustavo Barreto, lembra que há três anos, antes dos novos empreendimentos, o mercado turístico era melhor. Houve um nivelamento das tarifas, ocasionado pela acirrada concorrência. “Atualmente, hotéis classificados como quatro estrelas chegam a concorrer em valores com hotéis considerados de luxo, cinco estrelas”, explica.

Há vários fatores que influenciam nos rumos que as redes hoteleiras tomam. O aeroporto de Aracaju era pra ser internacional, mas o espaço não é aproveitado e ainda deixa a desejar no que diz respeito a infraestrutura e conforto. Talvez tal deficiência passe despercebida pelo fato do maior fluxo de vôos se concentrar durante a madrugada, mas é inegável o quanto Aracaju perde por falhas como essa. Gustavo afirma ainda que, mesmo com certas carências na estrutura, a perspectiva para 2010 é de crescimento e superação em relação aos últimos dois anos. A assistente de gerência do IBIS Hotel, Larissa Bertolini, confirma: “É no período que vai de novembro a meados de fevereiro que a procura dos turistas por lazer aumenta”.

Para o proprietário da Pousada Atalaia, Jorge Roberto, a divulgação tem sido um impulso indispensável por parte do governo. “O pessoal vem de fora já com uma noção da cidade, dos pontos turísticos”. No entanto, ele chama ainda atenção para o fato de que mais importante que trazer gente para a cidade, é reparar detalhes tais como água (que é barrenta) e energia (que sofre quedas constantemente) na principal área que recebe esse grande contingente: o bairro Atalaia. Jorge era da Petrobras e há dez anos voltou-se para o ramo turístico, conseguindo nesse tempo transformar uma casa numa pousada das mais recomendadas na cidade e símbolo de hospitalidade. O paulista dá a fórmula para tamanho progresso: “Trabalho aliado ao bom atendimento e jogo de cintura.” E reforça: “A divulgação é tudo!”.

Washington Bill, recepcionista do Bello Mar Hotel, informa que a maior parte dos turistas é formada por baianos que vêm para prestigiar a cidade portadora da mais bela orla do Brasil, segundo tantos apreciadores. E os atrativos não se limitam à Aracaju, conta também com outros pontos espalhados pelo Estado, como os Canyons de Xingó, obra humana que chega a ser confundida com obra da natureza.

Segundo o jovem, o governo apóia a rede hoteleira indiretamente, atuando na área trabalhista (através do sindicato), promovendo eventos e desenvolvendo projetos culturais. “O que atrai mesmo são os eventos do governo”, ressalta. Ele diz ainda que proporcionalmente, comparada às metrópoles brasileira, como Rio de Janeiro e São Paulo, Aracaju dispõe de uma boa estrutura. Questionado sobre a perspectiva, ele afirma com ênfase: “Acima de 2009”.

As cariocas Conceição Alves e Erondina Rodrigues chegaram aqui no último sábado, 16, numa excursão pelo Nordeste e aprovaram a cidade e todo o atendimento dos profissionais. Conceição veio pela primeira vez e elogia: “A cidade é limpa…É o tipo de lugar que, se eu tivesse um poder aquisitivo maior, viria todos os anos a passeio.” Erondina também não esconde a satisfação: “Aqui é tranqüilo, voltamos da rua tarde para o hotel e até agora não vi perigo nenhum, o pessoal aqui é cordial, o tratamento é muito bom!”. Assim como o senhor João, ela também reclama da distância do mar, no entanto expressa, satisfeita: “Pretendo voltar”.

Apesar das divergências em relação à estrutura que Aracaju tem a oferecer, gerentes, funcionários e turistas concordam num ponto: o ano de 2010 surge com uma margem para investimentos e apostas em geral no mercado hoteleiro. Entre falhas e acertos, o Estado vem trabalhando na geração de renda para a população. Obviamente é necessário melhorar em muitos aspectos, mas o clima de instabilidade que permeou o País entre 2008 e meados de 2009 vem sendo superado por uma nova visão empreendedora.

4 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Paulo Roberto de Souza said, on 20/01/2010 at 11:30 am

    Deixo aqui meus agradecimento à Tainah Quintela por essa bela reportagem sobre o turismo em Sergipe… São pessoas assim que engrandecelm o nosso Sergipe! Temos que divulgar nossas belezas turisticas que são tão esquecidas pelo pessoal do sul.
    Grato, Tainah

  2. YGOR BRASILINO said, on 20/01/2010 at 11:57 am

    OBRIGADO TAINAH… AGRADECEMOS PELA SUA ENTREVISTA QUE SOMENTE FAZ ENGRANDECER SERGIPE! TEMOS QUE DIVULGAR ESSE SOLO TÃO BELO E DESCONHECIDO PELO PESSOAL DO SUL. PRÁ FRENTE TAINAH!

  3. Paulo Roberto de Souza said, on 21/01/2010 at 11:21 am

    Grato Tainah pela sua reportagem “ACIMA DE 2009”. Como é bom ter pessoas como você que passa à divulgar toda beleza de nosso Sergipe! Ficamos agradecidos.r

  4. (: said, on 27/01/2010 at 4:02 am

    coincidência o tema do seu trabalho! ficou bem legal (:


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: