Técnica de Produção, Reportagem e Redação Jornalística

Ciúme: a diferença entre o veneno e o remédio está na dose.

Posted in Comportamento by micheletavares on 26/10/2010

Por ELA Leão.

“O ciúme dói nos cotovelos
Na raiz dos cabelos
Gela a sola dos pés (…)
Dói da flor da pele ao pó do osso
Rói do cóccix até o pescoço (…)
Você ama o inimigo
E se torna inimigo do amor”

Em “Dor de cotovelo” Caetano Veloso descreve as mazelas provocadas pelo ciúme. O ciúme não é exclusividade apenas dos mortais, o mesmo seria capaz de tirar do prumo a deusa Hera, a qual sofria com a infidelidade de seu esposo Zeus e com o ciúme que sentia dele.  Embora pensado humano, esse sentimento não deixa escapar nem mesmo o deus judaico cristão, que de acordo com o que afirma o texto sagrado: (Deuteronômio 4,24)Pois o SENHOR vosso Deus é fogo abrasador, é um Deus ciumento”.

Colocando religião e mitologia de lado, o ciúme, quando fora de controle, trás problemas para quem o sente e em especial para o indivíduo passivo do ciúme. Como tantas mulheres no Brasil, a senhora M.A.S, 38 anos, serve de exemplo. Na madrugada do dia 17 de dezembro de 2009, M.A.S. compareceu à delegacia plantonista e registrou queixa contra seu ex-marido por ameaçá-la com uma faca em sua casa e também por agredi-la verbalmente depois de tê-la seguido em público, inclusive na igreja em que ela freqüenta. Segundo ela, mesmo separada, o ex-marido ainda a perseguia e que o motivo de tantas ameaças e violências é que, embora separados ha três meses, o seu ex-marido conserva-se ciumento e nisso resulta todo o medo que ela vem sentindo.

Como este caso, inúmeros outros com semelhanças e dessemelhanças podem ser vistos por todo o Brasil. O pano de fundo para o desenrolar dessas cenas: ciúme.

Cantado, interpretado, pintado por artistas em muitos idiomas, o ciúme é quase linguagem universal, quando se trata de sentimento. Do latim zelume, ou seja zelo, dita dessa forma, talvez a palavra ciúme não faz pensar na angústia e sofrimento causado pela possibilidade de perder o afeto de quem se  ame. O ciúme é tema central de obras como Otelo, de William Shakespeare, e Dom Casmurro, de Machado de Assis, visita também pára-choques de caminhões: “Amor sem ciúmes é como flor sem perfume”.

Em Passione, folhetim apresentado atualmente por emissora de TV brasileira, a personagem Jessica, interpretada por Gabriela Duarte, inventa mil e uma formas de segurar seu marido Berilo (Bruno Gagliasso), recorrendo até a um GPS para mantê-lo “dentro da cerca”. No entanto, nenhum personagem supera Heloisa do folhetim “Mulheres Apaixonadas”, interpretada por Giulia Gam. A personagem infernizou a vida do esposo, Sergio, encenado por Marcello Antony. Todos os clichês de cenas de ciúmes foram vividos na pele de Heloisa: cheirar roupa, averiguar bolsos e carteira, conferir ligações do celular, seguir o marido, chegando mesmo a esfaqueá-lo. O ciúme era tanto, que ela chegou a fazer uma cirurgia de retirada do útero, para não ter que dividir o esposo com filhos.

Apesar de ser muitas vezes associado à desconfiança, suspeita de infidelidade ou a tentativa de controle, o ciúme em si cumpre uma função de grande importância social: pode ensinar que não somos o centro do mundo, muito menos do desejo do outro. Para o psicanalista Alberto Silveira, o ciúme não significa demérito ou patologia. “É comum sentir ciúme, afinal o medo da perda é presente em todo sujeito, então se vê nas crianças que disputam a posição de filho preferido, na namorada que busca atenção, no individuo que reclama da relação do trabalho”, disse.

O estranho é a negação do ciúme. Como no caso de namorados, noivos, maridos, que afirmam não sentirem ciúme. “Se for verdade a afirmação desses homens, significaria que se alguém levasse a mulher deles eles não teriam problema ou sentiriam tal ação, afinal eles não sentiriam tal perda”, afirma o psicanalista.

É comum, as mulheres serem apontadas como mais ciumentas, no entanto para o psicanalista, isso não corresponde à realidade. Segundo o mesmo, o que existe é certa conformidade social com a posição feminina, a qual para ela é permitido chorar, fazer escândalos se apresentar fragilizada, e reclamar constantemente. Contudo, o fato das mulheres exporem, com maior freqüência, o ciúme que sentem não faria delas mais ciumentas. “Afinal historicamente o homem foi protegido dessas situações, as esposas e amantes ficavam em casa e sua imagem de homem ficava intacta”, conclui o psicanalista.

Embora, não seja uma regra, existe uma diferenciação entre o ciúme apresentado pela mulher e pelo homem. Isso se dá na forma de expor o sentimento, enquanto as mulheres sentiriam ciúmes do afeto demonstrado pelo parceiro a uma terceira pessoa, os homens direcionam seu ciúme para a vida sexual da parceira. “Esse fato é perceptível em retornos após separações onde quase sempre o homem se incomoda ou se interessa pela vida sexual da parceira e a mulher por sua vez tem suas duvidas e queixas relacionadas à quantidade de afeto”, afirma o psicanalista.

Homem ou mulher, criança, jovem, adulto ou idoso só é possível ajudar o ciumento caso este sinta-se incomodado pelo ciúme. “Esse sintoma sim é válido para a análise e para outras terapias afinal é um sintoma do sujeito”, conclui o psicanalista.

Você é ciumento? Teste online: http://www.interney.net/testes/teste005.php

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. Martoka said, on 26/10/2010 at 9:34 pm

    Muito boa a matéria sobre ciúmes. Poematizado, estudado, parafraseado e cantado, o ciúme às vezes escondido, e muitas vezes explicitado, coloca o objeto do ciúme numa condição nem sempre confortável, mas…. não há como negar o ego inflado pela sujeição que provoca no outro….


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: