Técnica de Produção, Reportagem e Redação Jornalística

O transporte público continua o mesmo

Posted in Uncategorized by micheletavares on 08/11/2010



Apesar de tantas discussões e tantas promessas o transporte público continua o mesmo.

Por Emily lima                

   O crescimento populacional da cidade de Aracaju é algo notável, no ano de 2007 último ano em que tivemos o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) a população aracajuana era de 520.207, no ano de 2010 com o censo ainda não terminado o IBGE já constatou cerca de 552.223 habitantes. Este crescimento vem trazendo muitos benefícios, mas também deve ser preocupante para governantes e responsáveis pelo transporte público, o crescimento populacional vem trazendo novas realidades como dificuldade de locomoção no trânsito.

    Segundo o Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN) em pesquisa feita em janeiro de 2010 a quantidade de veículos circulando diariamente na cidade hoje é de 173.496 enquanto que  em janeiro do ano anterior era de 156.134, esse novo número de veículos tem uma relação direta com a qualidade do transporte público os engarrafamentos se tornaram constantes em especial nos horários considerados como de pico, agora os atrasos dos ônibus são ainda maiores a dificuldade de locomoção vem tornando ainda mais difícil um sistema que já é deficiente.

                                                                        

terminal do Distrito Industrial de Aracaju (DIA) Foto por:Emily lima

    Aracaju é uma das poucas capitais com sistema integrado de ônibus sendo referência para outras localidades, o sistema interliga diversas linhas inclusive algumas cidades do interior, o que facilita muito a vida dos usuários que pagando apenas uma tarifa no valor de 2.10 ou 1.05 sendo a meia passagem, podem fazer qualquer percurso. Com esse sistema é possível se deslocar de lugares como: Mosqueiro a são Cristovão, caracterizada como uma distância acima da média.

   Mas isso não quer dizer que a qualidade do sistema de transporte aracajuano venha servir como exemplo, apesar de alguns benefícios ainda é possível notar muitos problemas, tornando conflituosa a relação entre usuários do sistema e os responsáveis por eles. Os constantes atrasos, a superlotação, a má qualidade na estrutura de alguns ônibus e pouca segurança, são problemas que parecem não ter fim. Além disso, os usuários não estão satisfeitos com o valor da tarifa, pois a grande maioria dos adeptos ao sistema tendem a utilizá-lo diariamente sendo para se deslocarem aos locais de trabalho e estudo, portanto os gastos são enormes.

    A discussão sobre o valor aumenta quando são feitas comparações entre a tarifa paga em Aracaju a tarifas mais baixas pagas em outras localidades com extensões maiores, porém, se for levado em consideração o fato de que Aracaju tem o sistema integrado, pode ser considerado como uma vantagem maior.

   A decisão do custo da tarifa compete à prefeitura, mas é decidida a partir do encaminhamento de uma planilha com os custos do serviço de tranporte. O que o usuário não consegue entender é o por que de tantos aumentos, se o sistema não muda , além disso não acreditam que seja justo pagar o mesmo valor tanto em distância pequena quanto em distância maior. Segundo a assessoria de comunicação do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Munícipio de Aracaju (Setransp) o valor pago não é justo porque está abaixo da média, o valor ideal para cubrir os custos seria de 2.26. Em contrapartida Victoria Carvalho usuária do transporte público assegura que é um absurdo o preço da tarifa paga.  

      Muitos são os problemas que envolvem o transporte público nos horários de “pico” é possível notar vários problemas em série: os ônibus estão superlotados, alguns ônibus com problemas na estrutura, o trânsito com alguns engarrafamentos causando atrasos, um bom exemplo é a Avenida Heráclito G. Rollemberg. Todos esses problemas geraram um sério descontentamento dos usuários em relação ao transporte público incentivando assim a clandestinidade.

Transporte clandestino 

    A clandestinidade é vista pelo os usuários como uma maneira de fuga aos problemas: como atrasos e superlotação dos ônibus, o transporte clandestino oferece ao usuário maior rapidez e mais conforto, a questão é que tudo isso parece ser uma bola de neve porque embora essa nova alternativa de transporte seja mais rápida ela não pode ser considerada como uma alternativa segura.

   A prefeitura de Aracaju optou por não legalizar transportes como moto taxi alegando ser um transporte perigoso, a decisão causou conflitos e não conseguiu acabar com a classe do transporte, agora são dois problemas além do risco aos passageiros o moto taxi por ser clandestino afeta o sistema legalizado.

  Os moto-taxistas são apenas um dos personagens deste vasto campo da clandestinidade que por sua vez só tende a aumentar, esses novos meios de transporte vêm tomando proporções enormes e dificultando cada vez mais o sistema coletivo tornando-o mais caro, já que quanto menos pessoas utilizando o transporte público mais caro fica o sistema. “As empresas não têm como concorrer com o transporte clandestino que não têm nenhuma responsabilidade oficial,” declara a assessoria de comunicação do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp).

   Os transportes clandestinos não pagam impostos, não têm custos de funcionários, enquanto que as empresas privadas têm que cumprir com os gastos em funcionários e impostos equivalentes a 13,75%. Seria então o caso de mais atenção a este problema já que a clandestinidade não é favorável a nenhuma das partes. “É preciso mais dinamismo das autoridades para procurar soluções imediatas no combate ao sistema clandestino, como também a disponibilidade dos responsáveis pelo transporte público em atender com louvor as necessidades dos usuários, desta forma, não teríamos motivo algum para procurar outras opções de locomoção,” alega Victoria carvalho usuária do transporte público.

    É correto mencionar que algumas medidas já foram tomadas para melhorar a qualidade no transporte público como a implantação da bilhetagem eletrônica, que foi solução encontrada para melhorar a segurança dos transportes, porém os problemas são inúmeros e a população clama por solução.

   Segundo os responsáveis pelo transporte ao falarem sobre os projetos futuros, a assessoria de comunicação do Setransp comunica: “temos feito investimento nas frotas, modernizando, colocando câmeras de segurança tanto nos ônibus como nos terminais. Temos a capacidade de mexer nas frotas, mas não na cidade, ainda assim temos algumas propostas para melhorar a fluidez nos horários de pico, que seria colocando faixas exclusivas só pra ônibus, essa seria uma medida simples de fazer apenas reservaria uma das guias apenas para ônibus nesses horários de maior trânsito, isso daria maior fluidez, mas não temos poder sobre isso, apenas alguns estudos, nós estamos fazendo a nossa parte”.

    Por sua vez Orlando Vieira, diretor da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) assegura que: medidas estão sendo tomadas. “Mas a implantação de faixas só para ônibus não seria possível, pois a maneira em que Aracaju foi planejada não permite”. As declarações demonstram totais discordâncias esta seria talvez uma demonstração de que eles estão meio perdidos sem saber que soluções encontrar para os problemas existentes no transporte público?                                             

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: