Técnica de Produção, Reportagem e Redação Jornalística

Turismo em Sergipe

Posted in Cidade, Politica Pública, Turismo, Uncategorized by micheletavares on 10/11/2010

Com investimentos centralizados, o turismo no estado é uma fábrica sem chaminés

Por Andréa Cerqueira e Nara Melo

Idealizada para ser capital de Sergipe, após transferência de São Cristovão, Aracaju foi fundada em 17 de marco de 1855, pelo presidente em exercício na época Inácio Joaquim Barbosa. Projetada em formato de um tabuleiro de xadrez, a cidade tem vasto roteiro turístico. O menor estado do Brasil tem consagração do setor turístico na capital e um potencial no interior elevado. Entretanto, as políticas públicas de incentivo se restringem a pólos específicos, considerados com maior potencial turístico. Buscando uma maior integração entre os 75 municípios do estado, convênios são firmados e as mudanças aparentam começar em breve.

Sede do Sebrae Aracaju Foto: Andréa Cerqueira

“O turismo no Estado está crescendo com abertura de novas empresas”, defende a gestora de turismo do Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), Bianca Esperidião de Faria. Ela acredita que a concentração de turistas ocorra principalmente nos períodos de janeiro a fevereiro e de junho a julho. Entretanto isso acontece porque a divulgação é focada em eventos específicos e já conhecidos, como a prévia carnavalesca de Aracaju (Pré-caju) e os festejos juninos, como o Forró-Caju.

Festa do pré-caju na capital no período que varia de janeiro a fevereiro Fonte: br.olhares.com

Forró Caju Fonte: overmundo.com.br

Contudo, para efetivar a publicidade do turismo loca, parcerias são firmadas entre prefeituras locais, instituições de aperfeiçoamento profissional (como o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI)) e instituições do ramo turístico (como agências, hotéis, bares e restaurante). Todos os parceiros entram com o capital e o SEBRAE entra com a capacitação das pessoas que trabalham na área do turismo e na divulgação dos eventos tanto no estado quanto em outras capitais.

Divulgação                                                                                                               

A participação do poder público no quesito turismo é contínua. A divulgação em feiras e eventos nacionais e internacionais, a exemplo da Feira de Turismo de Gramado, do Salão de Turismo, da Feira da ABAV coloca Sergipe entre os principais destinos turísticos do país. Mas existe a problemática em relação à população interiorana, de que não enxerga a cidade em que mora como uma potência tanto no turismo quanto na economia. “No interior há uma falta de políticas públicas na área de infra estrutura“, diz Bianca Esperidião.

Mapa Turístico da capital Fonte: Portaldearacaju.com

Em Aracaju, a principal crítica que se tem é a falta de visitação no Parque da Cidade motivada pela falta de sinalização em todo o estado, fato que parece está sendo resolvido com instalação de sinalizações desde o início do mês de outubro. Na capital, a gestora de turismo do Sebrae aponta a Orla de Atalaia, a Colina do Santo Antônio, a 13 de julho, o Centro histórico, os Mercados Albano Franco e Tales Ferraz como principais pontos de visitação.

A Emsetur juntamente com o SEBRAE apresenta o estado nas exposições. De acordo com o presidente da Emsetur, José Roberto Lima, os locais turísticos do interior são apresentados seguindo a divisão: Cidades Históricas (São Cristóvão e Laranjeiras), Litoral Norte (Pirambu e Foz do Rio São Francisco), Litoral Sul (Caueira, Abaís e Praia do Saco) e Rota do Sertão (Serra de Itabaiana e Parque dos Falcões, Roteiro do Cangaço e o Canyon). A gestora de turismo do SEBRAE, Bianca Esperidião, completa dizendo que a grande Aracaju e o portão de entrada para as demais cidades.

“O turismo de aventura e de eventos está em alta em Sergipe com a

Presidente da Emsetur, José Roberto Lima Fonte:http://www.turismosergipe.net/

divulgação de melhorias no Parque dos Falcões, além da continuidade do Encontro Cultural de Laranjeiras e a interiorização do Verão Sergipe”, afirma o presidente da Emsetur. Contrapondo a afirmação, em palestra sobre o turismo em Sergipe, o sócio fundador e coordenador do Parque dos Falcões, Ricardo Alexandre Correia, fala que o ecoturista ou “ecocurioso” está em ascensão por que o meio ambiente está sendo degradado, o turismo massivo destrói o meio ambiente por ser uma “invasão” no habitat daqueles animais.

Investimentos

A Sedetec atualmente trabalha com um programa nacional de incentivo ao turismo chamado Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur). De acordo com o coordenador operacional do Produtor, Luiz Carlos de Santana, os recursos são liberados pelo Ministério do Turismo, com a contrapartida do Estado. “Hoje temos duas frentes de trabalho: uma são os convênios firmados com o Ministério do Turismo, que somam 40 milhões de reais. A outra, e mais importante, é o financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que totaliza um montante de 100 milhões de dólares”, informou.

Entretanto, o investimento do Prodetur só pode ser destinado aos municípios que fazem parte das duas áreas consideradas pólo turístico no Estado. São elas: Pólo do Velho Chico, que abrange 17 municípios que margeiam o rio São Francisco, e o Pólo Costa dos Coqueirais, que inclui três municípios ao longo da Costa, além das cidades históricas de São Cristóvão e Laranjeiras. “Basicamente o turismo no litoral é considerado de sol e praia, do norte como ecoturismo e São Cristóvão e Laranjeiras que se caracterizam como turismo histórico-cultural” afirma Luiz Carlos.

A utilização dos recursos financiados pelo BID deve possuir cinco componentes: recuperação (de museus, orla, de coisas já existentes), estratégias de comercialização (para divulgar o turismo do estado), fortalecimento profissional (projetos de capacitação profissional, planos diretores), infra-estrutura e serviços básicos (aterro sanitário, construção de rodovias e orlas, atracadouros) e gestão ambiental (ações diretamente ligadas ao ambiente, utilização de novas tecnologias). Para se utilizar dos recursos do BID, as ações devem contribuir para o desenvolvimento do turismo nas localidades próximas. Segundo Luiz Carlos, atualmente está sendo construída uma rodovia que ligará a sede do município de Santa Luiza ao povoado Castro, fato que impulsiona a construção de uma orla/atracadouro no povoado, além de acarretar a melhoria do saneamento básico.

O objetivo a ser alcançado hoje é a construção de um roteiro integrado para o turista, onde ele possa pernoitar no interior, retirando a característica de passeio. A integração favorece não só as cidades pólo, mas todas que estão
próximas, ou seja, fazer com que as cidades do interior sejam pontos de hospedagem como na capital. “A idéia é que o turista pernoite em Canindé, e depois faça passeios para a Ilha do Ouro, e pela Foz do Rio São Francisco, por exemplo”, finaliza.

Em Aracaju existem três projetos na base da capacitação, feita pelo Sebrae, como o selo de qualidade no empreendimento, seja hotel, pousada ou restaurante. Existe também pela Emsetur, um programa de treinamento de mão de obra, de capacitação para melhor atender o turista. Entretanto, esse programa ainda não está ativo no interior do estado.

“O ponto de principal no turismo é a malha aérea de Sergipe que se tornou um destino caro pela dificuldade de se chegar aqui”, pontua a Bianca Esperidião. Os aeroportos não comportam muitos vôos, são poucas escalas tendo Sergipe como destino. Entretanto há rumores de que uma reforma no aeroporto sergipano seja feita ainda esse ano, mas nada foi divulgado oficialmente.

O principal questionamento é relacionado à efetividade e centralização das políticas públicas voltadas para o turismo. De fato, as prefeituras devem distribuir melhor os recursos recebidos pelo Governo Federal. Em contrapartida, os órgãos responsáveis pela melhoria e divulgação das cidades com potencial turístico devem capacitar e informar a população local de cada ponto, pois em muitas localidades a prática do turismo é feita de forma primária, sendo que a publicização se restringe, em muitos casos, apenas ao turismo cultural.

Anúncios

O mercado dos brinquedos artesanais

Posted in Cultura, Fotojornalismo, Turismo by micheletavares on 30/10/2009

Por Thiago Ribeiro

Diante da imensa diversidade de brinquedos eletrônicos presentes nos shopping centers da cidade, as bonecas de pano, os carrinhos de lata e os cavalos-de-pau ainda conseguem encantar crianças e adultos que passam pelos corredores do Mercado Histórico Thales Ferraz.

Os brinquedos artesanais não falam, não piscam nem se movimentam sozinhos como os brinquedos modernos, mas é impossível resistir em passar por um deles sem tocá-los e sentir a nostalgia da infância. Essa magia que só os brinquedos artesanais possuem é o que explica a sua permanência por gerações e mesmo diante de tamanha concorrência tecnológica, os artesão produtores desses brinquedos ainda conseguem se manter uma produção constante.

Segundo os vendedores do mercado, o público dos brinquedos artesanais não se limita as crianças e pais, os produtos são comercializados também para turistas que os utilizam como suvenirs e peças decorativas.

DSC06677

As bonecas de pano também são bastante utilizadas como peças de decoração.

6678

Os populares carrinhos de lata que são arrastados pelas ruas pelas crianças.

DSC06686

Algumas peças são baseadas em sucessos da TV, como o homem-aranha e o pica-pau.

DSC06688

A Caixa Mágica é uma das peças mais vendidas para o público adulto. O segredo para abri-la é o grande atrativo da caixa.

DSC06680

Uma amostra da diversidade de brinquedos e peças que encantam os turistas do mercado.

Reforma do Balneário de Salgado vai revitalizar turismo na região

Posted in Fotojornalismo, Turismo by micheletavares on 28/10/2009

FOTOJORNALISMO

Texto e fotos por Carol Correia

 Balneário (2)

Atendendo a uma antiga reivindicação da população de Salgado, o Governo do Estado está realizando desde o final de junho de 2009 a reforma do Balneário de Salgado. A obra, orçada em R$ 473.881,96, é executada pela Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra) por intermédio da Companhia Estadual de Habitação e Obras Púlicas(Cehop). O prazo de conclusão está previsto para dezembro desse ano.

Até o momento, foram recuperados os vestiários, a administração e o restaurante. A equipe responsável pela reforma agora trabalha na quadra poliesportiva, na casa de bomba das piscinas e na troca de todo o alambrado. Segundo o secretário de Estado da Infraestrutura, Valmor Barbosa, em breve o programa entrará em sua reta final. “Os próximos passos do projeto são a recuperação das piscinas e, por fim, a urbanização do espaço” explicou. Operários trabalhando no vestiário

O Balneário de Salgado foi fundado no final de 1978. Sua área de mais de 30 mil m² tem um valor fundamental para a cidade e adjacências. O aposentado João Domingos lamenta que o espaço esteja fechado há mais de dez anos. “Fiquei muito triste depois que as portas foram fechadas porque eu e a minha família íamos todo domingo nos divertir no lugar. Era muito agradável e limpo, uma coisa de verdadeiro respeito com o povo”, relembra.

 Segundo Raimundo Rodrigues, que mora em frente, o centro de lazer incentivava os negócios. “Os barzinhos da redondeza, que hoje estão fechados, ficavam todos lotados. A cidade, em geral, ficava cheia” declarou.

Para Rodrigues, o Balneário era o principal componente da identidade do município. “Essa piscina é tudo para Salgado. É ela quem dá a ‘cara’ da cidade. Ela movimentava o turismo não só daqui, mas também do estado. Vinha gente até da Bahia e de Alagoas tomar banho aqui. Toda a população está imensamente feliz porque o local está sendo reformado e vai ser reaberto. Vamos todos voltar a frequentá-lo”, acrescentou.

BalneárioApesar de residir em Salgado, a estudante Bárbara Naiane, 18, nunca foi ao Balneário. “Meus pais iam com frequência e me contavam que o lugar tinha muito movimento, que ônibus lotados vinham pra cá. Por causa das histórias que me eram passadas, eu sempre tive vontade de ir. Agora que ele vai ser reaberto, finalmente poderei conhecê-lo”, disse.

Carnaval Brasileiro é marcado pela diversidade e alegria dos foliões nos quatro cantos do país

Posted in Cultura, Turismo by micheletavares on 23/01/2009

Por Bárbara Juliana e Pedro Ivo

 

olinda_bonecosVocê já decidiu onde brincar o carnaval? O carnaval brasileiro é marcado pela diversidade e alegria dos foliões. Não fique fora dessa festa, há atrações para todos os gostos. Frevo, escolas de samba, trios elétricos,bandas de rua, confetes,fantasias, descrevem o carnaval no Brasil que esse ano será no dia 24 de fevereiro.

 

É uma comemoração católica, quatro dias antes da quarta feira de cinzas, data que marca o inicio da quaresma. Tem como símbolo o rei Momo representando a figura mitológica de Dionísio, o deus Baco, patrono do vinho, sinônimo de fartura.

 

Carnasite

fonte:Carnasite

A multiplicidade do carnaval brasileiro é característica marcante, sendo uma festa reconhecida em todo mundo. No nordeste predominam os grupos de folia onde populares saem a rua para comemorar. Já no Sudeste o carnaval é marcado pelas escolas de samba onde grupos organizados apresentam-se no sambódromo para concorrer ao prêmio de melhor escola de samba. E não para por ai .

 

 

No Recife tem frevo, maracatu, cabloquinho, ciranda, caco de roda, samba, afoxé e tantos outros ritmos. Mas, a principal atração de Pernambuco é o Galo da madrugada que arrasta milhares de foliões pelo centro de Olinda e evidencia as manifestações populares unindo frevo e grupo de máscaras, cujo objetivo é resgatar o carnaval de rua. O galo sai na manhã de sábado com o bloco Zé Pereira, a partir das 5h30 da madrugada, para todos que quiserem acompanhar numa grande comemoração.

 

Em Salvador, a febre do carnaval são os trios elétricos, inventados por Dodô e Osmar que tiveram a idéia de restaurar um Ford velho (1929), apelidado de fobica. Apresentaram-se pela primeira vez em 1951, com guitarra e percussão. Os carros elétricos desde então arrastam multidões, vestidas com abadas, correndo atrás do trio, embalados pelo axé, no qual, predominam artistas baianos. O carnaval da Bahia é responsável por grande turismo nessa época do ano. A assimilação do carnaval no Brasil acontece num cenário de verão e praia, tornando-se atrativo para quem deseja conhecer a festa. Há ainda as prévias carnavalescas que são a comemoração antecipada. Aracaju dá exemplo: nela ocorre o Pré-Caju que, neste ano, acontece entre os dias 23 e 26 de janeiro, somando quatro dias de folia e agito.

 

Vila Isabel,Escola de samba do Rio de Janeiro

Vila Isabel,Escola de samba do Rio de Janeiro

No carnaval do Rio de Janeiro e São Paulo, predominam as escolas de samba, cujos desfiles são transmitidos pelas emissoras de TV todos os anos. São carros alegóricos com luxo e glamour, enfeitados com ornamentos gigantes; mestre sala e porta bandeira, bateria, samba enredo que entoa o desfile no sambódromo chamado passarela do samba.É a desenvoltura,beleza,fantasias que determinam a ascensão ou rebaixamento das escolas. Mas não é apenas ao Rio e São Paulo que se restringe a apoteose do samba. Vitória, Florianópolis e Manaus também possuem como atração carnavalesca as escolas de samba.

 

 

Carnaval em Aracaju..

 

Edison Araújo

Foto:Edison Araújo

‘O primeiro carnaval em Aracaju foi realizado em 1894. Pequenos grupos de foliões saíram ás ruas fantasiados, cantando ao som de instrumentos de percussão’ segundo a pagina http://emefac.vilabol.uol.com.br/wilker/ahistori.htm. Desde então o carnaval de rua permanece como característica marcante que faz a alegria do povo aracajuano.

 

 

Dentre as atrações do carnaval de Rua de Aracaju os blocos ovo da madrugada e o rasgadinho arrastam multidões ao som do frevo. Tais blocos já viraram tradições do carnaval da cidade. No ano passado o rasgadinho arrastou mais de dez mil pessoas num desfile que alegrou as ruas da capital sergipana. Esse ano o carnaval aracajuano promete. O bloco Afro Bumbada realizado na orla de Atalaia traz novidades no seu tema cultura angolana. Para maiores informações visite o site www.orladeatalaia.com.br/afrobumbadaleva.htm.

 

E para quem não gosta das multidões e deseja sossego no feriadão Sergipe oferece  boas opções. As praias do Abais, do Saco e Caueira são locais perfeitos para esta época carnavalesca – sobretudo para quem tem uma casa de praia. Não para por ai, nos bares da Orla de Atalaia, sergipanos e turistas terão a cerveja gelada, um bom cardápio à base de frutos do mar, e até o tradicional forró – mesmo em pleno Carnaval!. Programa perfeito pra quem foge do agito de fevereiro.

 

Para maiores informações visite o site da prefeitura de Aracaju, e acompanhe a programação do  calendário festivo a ser divulgado: http://www.aracaju.se.gov.br

 

Grande movimentação toma conta do Aeroporto de Aracaju em Janeiro

Posted in Cidade, Turismo by micheletavares on 23/01/2009

Com sua capacidade chegando ao limite da demanda de passageiros, uma ampliação já está nos planos da Infraero em parceria com o governo do Estado

 

 Por Matheus Fortes e Ivo Jeremias

Matheus Fortes

Foto: Matheus Fortes

O verão começou há um mês e Sergipe atrai cada vez mais turistas, assim como os sergipanos decidem viajar a procura de lazer em outros lugares. Com isso, o Aeroporto Santa Maria, principal porta para quem entra ou sai do estado, tem uma movimentação acima do comum em comparação com outras épocas do ano.

 

Inaugurado oficialmente em 1958, o Aeroporto de Aracaju passou por várias reformas. A mais recente delas ocorreu em 1998 com a ampliação da pista de pousos e decolagens, do terminal de passageiros, a construção de um estacionamento com capacidade para 300 veículos, além de climatização nas salas de embarque e desembarque, elevadores, escadas rolantes, sistema de TV e vigilância e sistemas informativos de vôos. Desde então, o Aeroporto opera com uma capacidade anual de 1 milhão de passageiros. Porém, a demanda de passageiros aumentou consideravelmente. Em 2003, 302 mil passageiros passaram pelo aeroporto durante o ano, mas, desde então o número cresceu em grandes proporções chegando a 670 mil em 2008. 

“A maioria dos turistas costumam vir de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília”, afirma Carol, atendente da Visão Turismo. O grande movimentação no mês de janeiro, mesmo trazendo benefícios para a capital sergipana, também levanta a questão da capacidade do aeroporto para a demanda cada vez maior de passageiros que passam pelo terminal.

Matheus Fortes

Foto: Matheus Fortes

Apesar das afirmações, o assessor de comunicação social da Infraero, Keldo Gabriel Campos, garante que o aeroporto tem condições para atender a demanda de passageiros. Segundo Keldo, os meses de dezembro a janeiro são os períodos de maior movimentação, com a chegada do verão e dos atrativos turísticos para essa época do ano, que incluem as praias e os eventos comuns a essa época (como exemplo, o Pré-Caju).

Outro período de grande movimentação é durante os meses de maio e junho, com a chegada dos festejos juninos. Até os períodos menos movimentados ocorre o chamado turismo de negócios, o que acontece mais durante as épocas de Agosto, Setembro e Outubro. “Quando vemos os dados referentes a 2003 e os de 2008, há um crescimento de mais de 100% da movimentação do aeroporto”, diz Keldo. “Em breve, o aeroporto estará chegando ao seu limite de passageiros, pedindo uma reforma”, alerta.

Quanto à reforma, Keldo já adiantou que um projeto já está em fase de andamento desde o dia 20 de novembro do ano passado. “Foi assinado um convênio entre a Infraero e o Governo do Estado para a construção de um novo terminal, aumento da pista de pousos e decolagens em mais de 1000m, ampliação do pátio de aeronaves, e a construção de quatro pontes que ligarão as aeronaves às salas de embarque e desembarque”, comenta Keldo.

Atualmente o aeroporto dispõe de espaço para quatro aeronaves de aviação comercial e sete de aviação geral, com a ampliação esse número duplicará, além de que com a ampliação, o aeroporto poderá receber aeronaves de grande porte como Airbus A330 e A340 ou o Boeing 767, geralmente usadas em vôos internacionais.

A respeito de Aracaju poder ter um Aeroporto Internacional, Keldo explica que isso depende de um plano para “alfândegar” o aeroporto: deverá ter a autorização da Receita Federal que trabalhará juntamente com a Polícia Federal para fiscalizar o que chega e que será mandado para fora do país.

O investimento do projeto de ampliação do aeroporto foi orçado pela Infraero, que contribuirá com R$250 milhões, em parceria com o governo do Estado, contribuindo com R$ 20 milhões. A previsão é de que em 2009, o projeto e a licitação sejam concluídos e a partir de 2010 as obras tenham início. “O projeto de ampliação é o mesmo usado no Aeroporto Internacional de Maceió, mas com algumas adaptações para que se instale em Aracaju”, finaliza.         

Sergipe avança em infra-estrutura turística.

Posted in Turismo by micheletavares on 14/01/2009
Estuario do Rio Sergipe (Foto Divulgaçao)

Estuario do Rio Sergipe (Foto Divulgaçao)

Por Eduardo Barreto e João Paulo Leite

Nos últimos anos, mais precisamente de 2006 a 2008, o estado de Sergipe vem se destacando no cenário nacional, graças à parceria do Governo do Estado e empresas privadas (hotéis e receptivos, dentre outros), que decidiram dar ênfase a um importante setor: o turístico. Foi preciso começar a “arrumar a casa” para saber receber bem o turista e investir na infra-estrutura do Estado como: estradas, aeroporto, hotéis e mão-de-obra.

Sergipe foi, durante muitos anos, apenas um caminho entre dois grandes destinos turísticos, a Bahia e Alagoas, uma ponte de ligação entre ambos. “Nos catálogos das grandes operadoras de turismo era muito raro ver Sergipe em um dos seus roteiros, via-se apenas o mapa com a BR-101 cortando-o, dando um indicativo de direção”, ressalva a senhora Patrícia Barreto, diretora de uma agência de receptivo em Aracaju.

De acordo com Patrícia, o número de turistas que freqüenta o Estado vem avançando a cada ano. Dados da última pesquisa da demanda turística, realizada pela Secretaria de Estado de Turismo (SECTUR), mostram que em 2007, Sergipe teve um aumento de 25% em relação a 2006. “O governo tem investido muito em divulgação, temos que ser vistos lá fora, a propaganda é peça fundamental para isso”, comenta João Augusto Gama da Silva, Secretário de Turismo do Estado, em uma coletiva em 27 de setembro de 2008, em comemoração ao dia internacional do Turismo.

Ainda, segundo Patrícia, os nossos maiores compradores são os nossos vizinhos, os baianos, seguidos de alguns estados do Sudeste (São Paulo e Rio de Janeiro) e Centro-Oeste (Goiás e Distrito Federal), respectivamente. “Precisa aumentar mais esse número, temos capacidade de receber mais visitantes, pois tem crescido a quantidade de hotéis e pousadas. Uma prova disso são as grandes redes de hotéis que estão se instalando no nosso estado”, enfatiza o gerente de hotel, Cássio Campos.